Como se preparar para as assembleias

Planejar com antecedência, conduzir os assuntos com objetividade e ter postura firme, são atitudes que garantem reuniões rápidas e produtivas

Rodrigo Pereira. Foto: Divulgação

As assembleias são reuniões imprescindíveis para o bom funcionamento da rotina dos condomínios em geral. É nessas reuniões que proprietários, moradores e síndico se encontram para tratar assuntos ordinários e extraordinários, e quando os condôminos definem práticas e investimentos, visando melhorar a qualidade de vida da coletividade. Portanto, as assembleias devem ser bem planejadas e organizadas.

Diretor Operacional da Liderança Administradora de Condomínios, Rodrigo Pereira destaca que a convocação da assembleia deve ser elaborada e publicada de acordo com a lei e a convenção. “Se contrariar estes dispositivos legais, as decisões tomadas pela coletividade podem ser invalidadas. A emissão do edital da assembleia é de responsabilidade do síndico, podendo também ser convocada por ¼ dos condôminos”, explica.

Pereira salienta que a definição dos assuntos, como também a redação, a serem incluídos na ordem do dia, têm grande importância em qualquer tipo de assembleia, seja ordinária ou extraordinária. “O texto da convocação deve ser objetivo e esclarecedor e não deve exceder a cinco itens. O síndico e a administradora devem preparar o material, de preferência encaminhando aos condôminos o que será apresentado”, orienta. Para auxiliar o condômino a proferir seu voto com segurança, podem ser exibidos gráficos, tabelas, fotos e outros recursos disponíveis.

Organização e tranquilidade

Joyce Broerin, supervisora do setor Assembleias na Liderança, salienta que o síndico, assessorado pelo representante da administradora, deve assegurar a organização do ambiente e a tranquilidade dos participantes, disponibilizando informações pertinentes. “Os participantes devem assinar a lista de presença, indicando a unidade, o nome e o respectivo CPF. O síndico, juntamente com o presidente eleito, deve conferir procurações e lista de inadimplentes”, ressalta.

É fundamental a escolha do presidente da mesa, que deve ter postura neutra, posicionando-se firme na condução e disciplina no andamento da pauta, intervir no momento certo, observando a convenção do condomínio. O presidente deve declarar aberta a assembleia, avaliando o quórum na primeira e segunda convocação. “Também é importante observar o horário de início da reunião, estabelecer tempo por itens e estimar o encerramento, e nesse procedimento, prestigiar os presentes. É papel do presidente designar o secretário que irá elaborar a ata da assembleia, que posteriormente deverá ser conferida e assinada por ele”, enfatiza.

De acordo com Joice, os assuntos a serem tratados são aqueles que constam na ordem do dia, sem inclusão de itens de interesse privado ou que não constem da pauta. “Os assuntos privados, se pertinentes, podem ser relatados nos assuntos gerais. Enquanto as dúvidas devem ser esclarecidas, sempre que possível, podendo ocorrer também em um momento mais oportuno”, recomenda a profissional.

Joice acrescenta que o presidente é o responsável pela ordem em todos os sentidos, cabendo a ele advertir quem estiver perturbando a reunião, com postura por vezes hostil. “O método de votação deve respeitar a lei e a convenção, principalmente nos itens que exigem quórum qualificado. Finalizados os assuntos da ordem do dia, o presidente da mesa, auxiliado pelo representante da administradora, deve declarar encerrada a assembleia e agradecer a presença e participação de todos. O síndico deve publicar a ata observando o prazo de até oito dias”, pontua.

Artigo publicado no Diretório Condominial